Skip to content
Select Your Location
View available investments and insights in your market
Americas
Europe and the Middle East
Asia Pacific

Glosario


Selecione a primeira letra da palavra na lista abaixo para acessar a seção adequada do glossário:
 
- A - - B - - C - - D - - E - - F - - G -
 
- H - - I - - J - - K - - L - - M - - N -
 
- O - - P - - Q - - R - - S - - T - - U -
 
- V - - W - - X - - Y - - Z -    
 

 


 

- A -

ABS — Abreviação de “Asset-Backed Security” (Título garantido por ativos).

Ação longa/curta — Estratégia de investimento que assume posições longas e curtas em ações ou índices de ações.

Ação preferencial — Classe de ação com um dividendo fixado que possui preferência em relação a uma ação ordinária no pagamento de dividendos e na liquidação de ativos. Existem vários tipos de ações preferenciais, entre elas taxa variável e conversível.

Ação — Unidade de propriedade em um investimento, como uma parte de uma ação ou um fundo mútuo.

Acionista — Proprietário de ações ordinárias ou preferenciais de uma corporação. Também chamado de “sócio”.

Ações A chinesas domésticas — Ações de empresas constituídas na China continental e negociadas em Xangai ou Shenzhen, cotadas em renminbi chinês (RMB)

Ações B chinesas domésticas — Ações de empresas constituídas na China continental e negociadas em Xangai ou Shenzhen, cotadas em uma moeda estrangeira

Ações negociadas publicamente — Ações que são negociadas em pelo menos uma bolsa de valores ou no mercado de balcão.

Ações ordinárias — Títulos emitidos por corporações que representam os direitos de propriedade nessa corporação e que são diferentes da “ação preferencial”, que é mais elevada na estrutura de capital da corporação e oferece uma prioridade nos ativos da corporação.

Acumulado do ano (Year-to-date - YTD) — Retorno acumulado do ano sobre um investimento, incluindo valorização e dividendos ou juros.

Administrador da carteira — Pessoa ou entidade responsável por realizar decisões de investimento da carteira para atender o objetivo ou a meta de investimento específica da carteira.

ADRs dos EUA — Um American depositary receipt (ADR) é uma ação negociada nos Estados Unidos, mas que representa uma quantidade específica de ações em uma corporação estrangeira.

AED — Moeda legal dos Emirados Árabes Unidos.

AFN — Moeda legal do Afeganistão.

Agente pagador — Instituição, normalmente um banco de investimento, que aceita fundos do emissor de um título e os distribui aos detentores do título

Ágio — Valor pelo qual uma obrigação ou ação é vendida acima da sua paridade.

Alavancagem — Técnica de investimento que oferece a um investidor uma exposição ao retorno de um ativo maior que o valor investido. Normalmente toma a forma de “alavancagem financeira” (pedir dinheiro emprestado para aumentar o tamanho do investimento) ou “alavancagem de derivativo” (atribuição de garantia para um instrumento derivativo que cria uma exposição maior e nocional a seu ativo subjacente).

Alfa — Retorno de excesso ajustado ao risco em um investimento no Fundo comparado à referência.

ALL — Moeda legal da Albânia.

Alocação de ativos — Processo de divisão do investimento entre regiões, países, classes de ativos ou outros setores de investimento para diversificar o risco e atender os objetivos do investimento.

Alocação de carteira — Quantidade de ativos em uma carteira especificamente designado para um certo tipo de investimento.

Alocações de país — Total de investimentos na carteira categorizados por país.

Alocações por setor — Alocação de uma carteira para investimentos que operam na área da economia e que compartilham os produtos ou serviços relacionados ou idênticos.

Alocações sobreponderadas — Alocações de carteira para títulos ou setores que possuem ponderação maior do que no índice de referência.

Alto rendimento — Título ou ativo, normalmente uma obrigação ou empréstimo, que recebeu uma classificação abaixo de BBB-/Baa3 ou que não recebeu uma classificação de uma organização de classificação estatística reconhecida nacionalmente (nationally recognised statistical rating organisation - NRSO). Às vezes, referida como “de categoria especulativa”, “de categoria de não investimento” ou obrigações ou empréstimos “podres”.

AMD — Moeda legal da Armênia.

Análise ascendente — Uma abordagem de investimento ascendente se concentra na análise de obrigações e ações individuais e nos negócios das empresas que as emitem. O foco são dados específicos para as empresas emissoras, ao invés do setor em que operam ou na economia como um todo.

Análise fundamental — Método de avaliação de um título ou valor intrínseco de uma empresa emissora que analisa fatores econômicos, financeiros e outros fatores qualitativos e quantitativos relacionados.

Anualizado — Procedimento em que valores que cobrem um período de menos de um ano ou mais de um ano são extrapolados ou ponderados para apresentar um valor para um período de 12 meses. Normalmente usado para expressar retorno ou dados de desvio padrão/de volatilidade.

AOA — Moeda legal de Angola.

Arbitragem de fusão — Estratégia de investimento que busca explorar os movimentos de preço em ações de empresas que ocorrem quando se fundem ou quando uma adquire a outra. Normalmente, a estratégia irá manter posições longas em empresas-alvo e posições curtas em empresas compradoras.

Arbitragem estatística — Estratégia de investimento que normalmente implementa várias negociações de curto prazo, longas e curtas, com base em modelos estatísticos complexos que tenham como objetivo identificar pequenas anormalidades em padrões intradiários de precificação de títulos.

ARS — Moeda legal da Argentina.

Ativos/AUM da carteira — Ativos sob administração (Assets Under Management).

Atribuição da classe do ativo — Parte do retorno total da carteira atribuída à alocação do gerente da carteira a uma classe de ativo.

Atribuição da estratégia — Parte do retorno total da carteira atribuído à alocação do gerente da carteira a uma estratégia.

Atribuições de índice — Porcentagem da carteira alocada a instrumentos que acompanham índices específicos.

AUD — Moeda legal da Austrália.

AUM/Ativos da carteira — Ativos sob administração.

Aumentos de margem — Aumentos na diferença entre as receitas das empresas e as despesas necessárias para gerar essa receita.

Avaliação — Estimativa do valor ou patrimônio de uma empresa; o preço que os investidores atribuem a um título individual.

AWG — Moeda legal de Aruba.

AZN — Moeda legal do Azerbaijão.

 

^ Voltar ao topo ^


 

- B -

BAM — Moeda legal da Bósnia e Herzegovina.

BBD — Moeda legal de Barbados.

BDT — Moeda legal de Bangladesh.

Beta — Medida da correlação e volatilidade de uma carteira relativa a uma referência baseada no seu histórico de retornos. O beta da referência será sempre 1. Por exemplo, uma carteira com um beta acima da referência (ou maior que 1) indica que a carteira possua uma volatilidade maior que a referência, e seria esperado apresentar um melhor desempenho em mercados de alto poder aquisitivo e apresentar um desempenho pior em mercados de baixo poder aquisitivo.

BGN — Moeda legal da Bulgária.

BHD — Moeda legal do Bahrein.

BIF — Moeda legal do Burundi.

Bloomberg — É um grande provedor global de notícias e informações financeiras 24 horas, incluindo dados de preços, dados financeiros, notícias relacionadas a negociações e cobertura de analistas em tempo real e históricos.

BMD — Moeda legal das Bermudas.

Bmrk/Referência — Fluxo de retorno em relação ao qual o fluxo de retorno de uma estratégia de investimento (como um Fundo) é avaliado. Normalmente um índice não administrado.

BND — Moeda legal de Brunei Darussalam.

BOB — Moeda legal da Bolívia.

Bps — Ponto de base (Bps) se refere a uma unidade de medida para taxas de juros e outras porcentagens em finanças. Um ponto de base é igual a 1/100 de 1% ou 0,01% (0,0001).

BRL — Moeda legal do Brasil.

BSD — Moeda legal das Bahamas.

BTN — Moeda legal do Butão.

BWP — Moeda legal de Botswana.

BYR — Moeda legal de Belarus.

BZD — Moeda legal de Belize.

 

^ Voltar ao topo ^


 

- C -

CAD — Moeda legal do Canadá.

Capital acionário — Investimento de longo prazo e orientado pelo crescimento que representa a propriedade em uma empresa; também conhecido como “patrimônio”.

Capital — Fundos utilizados para gerar renda ou fazer um investimento. Empresas arrecadam capital de investidores ao vender ações e obrigações e usar o dinheiro para expandir, fazer aquisições ou construir o negócio. O termo "mercados de capital" refere-se aos ambientes físicos e eletrônicos em que esse capital é arrecadado, seja através de ofertas públicas ou colocações privadas.

Capitalização do mercado — Valor de mercado de uma empresa, calculado ao multiplicar o número de ações em circulação pelo preço por ação, ou o valor de mercado das obrigações em circulação de uma entidade.

Capitalização média de mercado — Capitalização média de mercado de uma carteira de títulos, em que cada participação é ponderada de acordo com seu tamanho na carteira. Capitalização de mercado é o valor total, a preços de mercado atuais, de todas as emissões pendentes de um tipo de título, de um emissor.

Capitalização — Capitalização é o processo por meio do qual, ao longo do tempo, o crescimento do valor do dólar de um investimento ultrapassa o valor implicado pela taxa de crescimento percentual anual, porque a taxa de crescimento percentual anual atua não apenas sobre o capital do investimento, mas sobre o capital mais qualquer retorno subsequente. O mesmo processo significa que o crescimento negativo do valor do dólar de um investimento será menor que o implicado por uma taxa de crescimento percentual anual negativa.

Carry — Carry é o custo (ou ganho) acrescentado ao manter qualquer investimento, independentemente dos movimentos em seu preço. Pode se referir também ao prêmio pago (ou recebido) por assumir o risco de manter um investimento. Um “carry trade” é uma negociação com duas pernas, em que o investidor vende ou pede emprestado um ativo com carry baixo para comprar ou emprestar um ativo com carry alto, obtendo a margem entre os dois.

Carteira — Coleção de investimentos de propriedade de uma organização ou de um indivíduo e administrada como coletivo com metas de investimento específicas em mente.

Categoria de investimento — Título ou ativo, normalmente uma obrigação ou empréstimo, que recebeu uma classificação de uma agência de classificação de crédito importante de BBB/Baa ou acima.

Categoria de não investimento — Um título ou ativo, normalmente uma obrigação ou empréstimo, que recebeu uma classificação abaixo de BBB/Baa ou que não recebeu uma classificação de uma organização de classificação estatística reconhecida nacionalmente (nationally recognised statistical rating organisation - NRSO). Às vezes, referida como “de categoria especulativa”, “de alto rendimento” ou obrigações ou empréstimos “podres”.

Categoria Morningstar — Categoria apresentada pela Morningstar atribuída a um fundo baseado em seus títulos subjacentes.

CBOE Russell 2000 PutWrite Index (PUTR) — Criado para representar uma estratégia de opção de venda curta hipotética proposta que vende uma opção de venda mensal do Russell 2000 Index no preço (at-the-money - ATM). A opção de venda escrita do Russell 2000 é colateralizada por uma conta do mercado monetário investida em obrigações do Tesouro de um mês.

CBOE S&P 500 PutWrite Index (PUT) — Criado para representar uma estratégia de opção de venda curta hipotética proposta. O PUT é um índice de referência premiado que mede o desempenho de uma carteira hipotética que vende opções de venda do S&P 500 Index contra reservas de dinheiro colateralizadas mantidas em uma conta do mercado monetário. A estratégia do PUT foi criada para vender uma sequência de opções de venda de um mês, no preço do S&P 500 Index e investir dinheiro em taxas da Obrigação do Tesouro de um e três meses.

CDF — Moeda legal da República Democrática do Congo.

CHF — Moeda legal da Suíça.

Ciclo de investimento completo — As fases da propriedade do investimento desde sua aquisição, administração para renda ou lucro, diminuição do retorno, até a venda

Ciclo de mercado completo — Movimentos de preço a longo prazo em um índice de mercado mais amplo, incluindo uma tendência de alta completa e uma tendência de baixa completa. Um ciclo de mercado é medido a partir da baixa mais baixa ou da alta mais alta para um tempo específico e é considerado completo quando os preços do índice se aproximam do ponto inicial.

Classe de ação — Classes representam propriedade no mesmo fundo, mas cobram tarifas diferentes. Isso pode possibilitar aos acionistas escolher o tipo de estrutura de tarifa que melhor se adéqua às suas necessidades particulares.

Classe de acumulação — Qualquer classe de ações que acumule todo o rendimento líquido do investimento e os ganhos de capital líquidos realizados e que não declare dividendos.

Classe de ativos — Grupo de títulos que compartilham características semelhantes e comportam-se de forma parecida no mercado. As classes de ativos mais comuns são ações, obrigações e equivalentes em dinheiro. Classes de ativos são geralmente regidas pelas mesmas regras e regulamentações.

Classe de distribuição — Qualquer classe de ação que declare dividendos.

Classificação de crédito/Qualidade do crédito — Uma classificação atribuída por uma agência, como Moody's, Standard & Poor's, Fitch Ratings ou outras, a uma obrigação ou empréstimo, ou um emissor de obrigações ou empréstimos, que informa a avaliação da obrigação pela agência ou a probabilidade de inadimplência do emissor. Essas classificações normalmente possuem designações por letra (como AAA, B, CC). “Qualidade do crédito” é frequentemente usado como sinônimo para descrever uma obrigação ou empréstimo, um emissor ou uma carteira de obrigações ou empréstimos.

Classificação Morningstar — Medida do retorno de um fundo ajustado ao risco, relativa a fundos semelhantes, calculada pela Morningstar. Os fundos são classificados com estrelas, de 1 a 5, aqueles de melhor desempenho recebendo 5 estrelas e aqueles de pior desempenho recebendo uma única estrela.

Classificações Lipper — O Lipper Mutual Fund Industry Average é o nível de desempenho de todos os fundos mútuos, conforme informado pelo Lipper Analytical Services de Nova Iorque. O desempenho de todos os fundos mútuos é classificado trimestral e anualmente, por tipo de fundo, como fundo de crescimento agressivo ou fundo de renda. Os gerentes do fundo mútuo tentam atingir a média do setor e dos outros fundos da sua categoria.

CLP — Moeda legal do Chile.

CMBS — Abreviação para “Commercial mortgage-backed securities” (Títulos comerciais garantidos por hipoteca), que são um tipo de título garantido por hipoteca protegido por hipotecas de propriedades comerciais, ao invés de imóveis residenciais.

CNY — Renminbi Yuan chinês, moeda legal da República Popular da China.

Cobertura — Descreve um risco em uma carteira ou a partir da participação em um investimento que tenha sido total ou parcialmente neutralizado pela participação em uma posição de compensação em um título ou instrumento derivativo.

Comissão (de resgate, inicial e sem comissão) — Comissão sobre fundos mútuos. Uma comissão de resgate é avaliada no resgate (consulte comissão por resgate antecipado), enquanto uma comissão inicial é paga no momento da compra. Fundos sem comissão são livres de comissões.

Comissão de Títulos e Câmbio (Securities and Exchange Commission - SEC) — Agência federal criada pela Lei de Títulos e Câmbio (Securities and Exchange Act) de 1934 que administra as leis que regem o setor de títulos nos Estados Unidos da América, incluindo o registro e a distribuição de ações de fundos mútuos.

Comissão de venda inicial (Máx.) — A quantia máxima que um investidor em um fundo de investimentos pode ser solicitado a pagar ao investir no fundo, expresso como uma porcentagem do valor do investimento.

Comissão por resgate antecipado (Contingent deferred sales charge - CDSC) — Comissão de resgate imposta quando ações são resgatadas de um fundo. Essa tarifa normalmente diminui ao longo do tempo.

Comissão — Valor cobrado pela venda de algumas ações do fundo, normalmente os que são vendidos por corretores ou outros profissionais de venda. Conforme a regulamentação, uma comissão de vendas do fundo não pode ultrapassar 8,5 por cento da compra de um investimento. A comissão pode variar dependendo do valor investido e do fundo escolhido. Uma comissão é refletida no preço solicitado ou de oferta. Consulte Comissões.

Commodities — Produto básico usado no comércio ou na fabricação que é intercambiável com outras commodities do mesmo tipo; commodities são usadas mais frequentemente como contribuições na produção de outros produtos ou serviços, por exemplo, petróleo, cobre, trigo e ouro.

Composição curta da carteira — Distribuição das posições curtas de uma carteira em títulos que se espera que diminuam em valor.

Considerações do risco — Riscos de investimento no fundo que um investidor deveria ter conhecimento antes de investir.

Consultora de investimento — Organização contratada por um fundo mútuo para dar consultoria profissional sobre os investimentos do fundo e práticas de administração de ativos.

Consumo básico — Setor da economia que representa empresas produtoras de mercadorias e serviços considerados essenciais pelos consumidores, que não podem ou não desejam cortá-los dos seus orçamentos, independentemente da sua situação financeira.

Consumo discricionário — Setor da economia que representa empresas produtoras de mercadorias e serviços considerados não essenciais pelos consumidores, mas desejáveis se sua renda disponível for suficiente para comprá-los

Contrato de futuros — Contrato de compra ou venda de uma commodity ou instrumento financeiro específico a um preço determinado em um momento especificado no futuro.

Contratos de câmbio a termo — Contrato personalizado entre duas partes para comprar ou vender um ativo a um preço especificado em uma data futura

Contribuição da duração da margem ativa — Duração da margem ativa é a diferença entre a contribuição da duração da margem ativa de um título específico, ou o segmento de mercado para uma carteira, e a contribuição com a referência da carteira. A contribuição da duração da margem é igual à duração da margem de um título ou segmento de mercado multiplicado pelo tamanho da alocação a ele.

COP — Moeda legal da Colômbia.

Corporativas — Obrigações emitidas por uma corporação.

Correlação — Probabilidade, com base em um relacionamento histórico, de que o preço de um título se movimente na mesma direção de outro título ou de uma referência, durante um período específico (normalmente um mês). “Risco de correlação” se refere ao risco que a correlação realizada entre um ativo e outro possa diferir daquele implicado pelo relacionamento histórico.

Cotação em bolsa — Bolsa de valores em que um título ou fundo de investimento foi lançado e é negociado.

CRC — Moeda legal da Costa Rica.

Crédito global — Obrigações e empréstimos emitidos por corporações e outras entidades não independentes, selecionadas a partir de um universo de todos os (ou a maioria dos) países, com mercados desenvolvidos e emergentes. O universo será definido normalmente por um Índice de crédito global padrão.

Crescimento de EPS — Crescimento de EPS (crescimento dos lucros por ação) ilustra o crescimento dos lucros por ação ao longo do tempo.  As taxas de crescimento de EPS ajudam os investidores a identificar ações que estão crescendo ou diminuindo em lucratividade.  O crescimento de EPS estimado de 3 a 5 anos é uma estimativa de como se espera que os lucros por ação cresçam no período de 3 a 5 anos seguintes. Não há garantia de que o crescimento de EPS estimado será alcançado.

CUC — Moeda legal de Cuba.

Cupom — Pagamentos periódicos de juros realizados pelo emissor de uma obrigação a um investidor.

CVE — Moeda legal de Cabo Verde.

CZK — Moeda legal da República Tcheca.

 

^ Voltar ao topo ^


 

- D -

Data de origem — Data em que o fundo é lançado.

Delta médio — Alteração aproximada da porcentagem no preço do Fundo para uma mudança correspondente de um por cento no preço no(s) índice(s) subjacente(s).

Depositário — Banco que detém ativos de fundo mútuo, liquida todas as negociações da carteira e recolhe a maioria dos dados da avaliação necessários para calcular um valor de ativo líquido do fundo (NAV).

Derivativos cambiais — Derivativo é um título com um preço dependente ou derivado de um ou mais ativos subjacentes.  Um derivativo cambial é um derivativo cujo(s) ativo(s) subjacente(s) é/são taxas de câmbio.

Derivativos OTC — Abreviação para derivativos de balcão (Over-The-Counter), que são contratos privados negociados entre duas partes sem passar por uma bolsa ou outros intermediários.

Desencadeado por evento — Uma estratégia de investimento que busca explorar as ineficiências de precificação que podem ocorrer antes ou depois de um evento corporativo, como falência, fusão, aquisição ou cisão.

Desvio padrão — Mede a volatilidade histórica do retorno do Fundo. Desvio padrão é uma medida estatística da dispersão de um conjunto de dados relativos ao seu valor médio. Quanto maior for o desvio padrão, mais ampla será a variabilidade do retorno e maior o risco da carteira. Em investimento, o termo é normalmente aplicado a uma série de retornos históricos e normalmente referido como “volatilidade”.

Dez maiores alocações por país — As dez maiores alocações de países em uma carteira com base no valor do ativo.

Dez maiores participações — As dez maiores participações em uma carteira com base no valor do ativo.

Distribuição da duração — Alocação da carteira a diferentes grupos de obrigações, em que esses grupos são determinados pelas durações das obrigações. Duração é uma medida da sensibilidade do preço de uma obrigação ou empréstimo a alterações em sua taxa de juros.

Distribuição de vencimentos — Repartição dos ativos de uma carteira com base no tempo em que os investimentos vencerão.

Distribuição do setor — Distribuição de títulos em uma carteira por categorias de setores.

Diversificação — Processo de aquisição de investimentos diferentes que tendem a ter um bom desempenho em momentos diferentes para reduzir os efeitos da volatilidade em uma carteira, e também aumentar o potencial para retorno acrescido.

Dividendo — Dividendo é uma porção de um lucro da empresa pago para acionistas ordinários e preferenciais. As empresas não são obrigadas a pagar dividendos.

DJF — Moeda legal do Djibuti.

DKK — Moeda legal da Dinamarca.

Domicílio — Localização geográfica onde um fundo é constituído.

DOP — Moeda legal da República Dominicana.

Duração (Duration) da margem ativa — Duração da margem ativa é a diferença entre a duração da margem de uma carteira e a da sua referência. A duração da margem é a sensibilidade do preço de um título a mudanças em sua margem de crédito. A margem de crédito é a diferença entre o rendimento de um título e o rendimento de uma taxa de referência, como taxa de juros sobre caixa ou rendimento de obrigações do Estado.

Duração da margem — Sensibilidade do preço de um título a mudanças em sua margem de crédito. A margem de crédito é a diferença entre o rendimento de um título e o rendimento de uma taxa de referência, como taxa de juros sobre caixa ou rendimento de obrigações do Estado.

Duração média (anos) — Duração média de uma carteira de obrigações ou empréstimos. Duração é uma medida da sensibilidade do preço de uma obrigação ou empréstimo a alterações em sua taxa de juros.

Duração média (anos) — Duração média de uma carteira de obrigações ou empréstimos, em que cada participação é ponderada de acordo com seu tamanho na carteira. Duração é uma medida da sensibilidade do preço de uma obrigação ou empréstimo a alterações em sua taxa de juros.

Duração ponderada (anos) — Quantidade de tempo média até uma carteira de títulos de dívida vencer. Também usada para medir a alteração percentual no preço por uma mudança de 100 bps nas taxas de juros.

Duração — Medida da sensibilidade do preço de uma obrigação ou empréstimo a alterações em sua taxa de juros. Duração mais longa indica maior sensibilidade. A duração “modificada” não realiza ajustes para levar em consideração alterações nos fluxos de caixa esperados da obrigação em resposta a alterações no rendimento e é frequentemente usada para avaliar títulos sem qualquer opção, como obrigações do Estado. A duração "efetiva” é um cálculo que inclui um modelo de precificação de opções para contabilizar opções incorporadas, como uma opção para o emissor realizar um reembolso antecipado do principal, ou uma opção para o detentor demandar um reembolso antecipado do principal, ao incluir. Essa medida de duração leva em consideração o fato de que fluxos de caixa esperados flutuarão como uma alteração das taxas de juros.

DZD — Moeda legal da Argélia.

 

^ Voltar ao topo ^


 

- E -

EGP — Moeda legal do Egito.

EMD — Abreviação para Dívida de mercado emergente (Emerging Market Debt)

Emissor — Entidade legal que desenvolve, registra e vende títulos para financiar suas operações.

Empresa de investimento — Corporação, truste ou parceria que investe dólares de acionistas agrupados em títulos adequados ao objetivo da organização. Fundos mútuos, fundos fechados e trustes de investimento comuns são os três tipos de empresas de investimento.

Empréstimos garantidos — Um empréstimo em que a garantia do ativo do tomador é penhorada para reembolsar os credores em caso de inadimplência em um acordo de crédito. Empréstimos com garantias são normalmente usados no mercado de empréstimos alavancados.

Empréstimos prioritários — São empréstimos em que, no caso de o tomador incorrer em incumprimento, o credor será o primeiro a ser reembolsado antes de todas as outras partes interessadas receberem o reembolso.

Entidade soberana — Governo

EPS — Lucros por ação (earnings per share): a porção do lucro de uma empresa alocado para cada ação em circulação de ação ordinária.

Equivalentes de caixa — Instrumento de curto prazo do mercado monetário, como obrigação do Tesouro ou acordo de recompra, de liquidez e segurança tão alta que é facilmente convertido em dinheiro.

ERN — Moeda legal da Eritreia.

Erro de acompanhamento — Medida da volatilidade da diferença entre o retorno a uma estratégia de investimento e o retorno para sua referência. É uma medida do quão próximo o desempenho da estratégia pode diferir da referência. Um erro de acompanhamento maior implica que uma carteira é administrada ativamente em relação à sua referência.

Estratégia de investimento de longo prazo — Uma estratégia que vê além das flutuações do dia a dia dos mercados de ações e obrigações e responde a mudanças fundamentais nos mercados financeiros ou na economia.

Estratégias de investimento alternativo — Definido amplamente, um investimento que não é um dos três tipos de ativos tradicionais (ações, obrigações e numerário). Estratégias de investimento alternativo normalmente operam em mercados privados, não cotados ou possuem a capacidade de usar alavancagem, redução e administração de risco ativo em busca de retornos que sejam minimamente correlacionados a tipos de ativos tradicionais.

Estratégias de opções — Estratégia de investimento que utiliza a compra e venda de opções.

ETB — Moeda legal da Etiópia.

ETFs — Abreviação de Fundos negociados em bolsa (Exchange-traded funds), que são títulos comercializáveis que acompanham um índice, uma commodity, obrigações ou uma variedade de ativos, como um fundo de índice. Ao contrário dos fundos mútuos, um ETF é negociado como uma ação ordinária em uma bolsa de valores

Euro, € ou EUR — Moeda única dos Estados-membros participantes da União Monetária Europeia introduzida em 1º de janeiro de 1999.

Exposição ajustada a delta — A quantidade de exposição do mercado, normalmente expressa como porcentagem do total de ativos do fundo, que um fundo possui, sem qualquer ajuste para o grau de risco relativo das posições detidas (que seriam medidas como exposição ajustada a beta). A “Exposição bruta” é calculada ao somar posições longas a posições curtas. Pode ser maior que 100% do total de ativos do fundo, porque posições longas podem ser financiadas com alavancagem ou ao possuir instrumentos derivativos cuja exposição nocional seja maior que o capital alocado como garantia para eles e porque posições curtas são criadas ao tomar emprestado (ao invés de possuir) títulos ou ao possuir instrumentos derivativos cuja exposição nocional seja maior que o capital alocado como garantia para eles. A "Exposição líquida” é calculada ao subtrair as posições curtas do fundo das suas posições longas.

Exposição bruta — Exposição do valor nocional aos movimentos de mercado em uma carteira de investimento, expresso como um total de posições “longas” (em que os títulos são detidos diretamente ou através do uso de derivativos) e suas posições “curtas” sintéticas (em que títulos são emprestados e vendidos para serem recomprados posteriormente). Por exemplo, uma estratégia que possui 50% dos ativos da carteira em posições “longas” e 50% em posições “curtas” teria uma exposição líquida ao mercado de 0%, mas exposição bruta ao mercado de 100%.

Exposição curta líquida, exceto câmbio — O valor da exposição, normalmente expresso como porcentagem dos ativos totais do fundo, que um fundo possui através das suas posições curtas, sem contar a exposição adicional ao câmbio, que pode ser criada quando essas posições são denominadas em moedas estrangeiras. Pode ser maior que 100% do total dos ativos do fundo porque as posições curtas são criadas ao tomar emprestado (ao invés de possuir) títulos ou ao possuir instrumentos derivativos cuja exposição nocional é maior que o capital atribuído como garantia para eles.

Exposição curta — Indica a proporção do NAV do Fundo investido em posições curtas. Uma posição curta significa que o Fundo se beneficia de uma queda no preço de um título. Os fundos implementam exposições curtas através de investimentos sintéticos usando derivativos, que irão gerar alavancagem da carteira.

Exposição líquida — A exposição do valor nocional aos movimentos de mercado em uma carteira de investimento, expresso como posições “longas” (em que os títulos são proprietários) menos suas posições “curtas” (em que títulos são emprestados e vendidos para serem recomprados posteriormente).

Exposição longa líquida, exceto câmbio — O valor da exposição, normalmente expresso como porcentagem dos ativos totais do fundo, que um fundo possui através das suas posições longas, sem contar a exposição adicional ao câmbio, que pode ser criada quando essas posições são denominadas em moedas estrangeiras. Pode ser maior que 100% do total dos ativos do fundo porque as posições longas podem ser financiadas com alavancagem ou ao possuir instrumentos derivativos cuja exposição nocional é maior que o capital atribuído como garantia para eles.

 

^ Voltar ao topo ^


 

- F -

FJD — Moeda legal de Fiji.

FKP — Moeda legal das Ilhas Malvinas.

Fluxo de caixa livre — Caixa que uma empresa pode gerar após gastar o dinheiro necessário para manter ou expandir sua base de ativos.

Fundo de obrigações — Fundo mútuo que investe exclusivamente em obrigações.

Fundo patrimonial — Um fundo mútuo/coletivo em que o dinheiro é investido principalmente em ações ordinárias e/ou preferenciais. Fundos de ações podem variar, dependendo do objetivo do investimento do fundo.

Fundo — Montante de dinheiro arrecadado de um grupo de investidores para comprar títulos.

Futuros administrados — Uma estratégia de investimento alternativa implementada principalmente através de contratos de futuros. O termo descreve uma variedade de estratégias que abrangem desde negociações de prazo bastante curto a seguimento de tendências de longo prazo e podem ser sistemáticos ou discricionários. Os profissionais que lidam com futuros administrados são referidos, às vezes, como “Consultores de negociação de commodities” ou CTAs (Commodity Trading Advisors).

FX — Abreviação para “Foreign exchange” (câmbio, moeda estrangeira).

 

^ Voltar ao topo ^


 

- G -

Ganho de capital — Diferença entre o preço de compra de um título e seu preço de venda, quando a diferença é positiva.

Ganho mensal máximo — Maior ganho que um fundo exibe em qualquer mês-calendário específico no seu histórico de retornos.

Garantia — Propriedade ou outro ativo que um mutuário oferece como forma de o credor garantir o empréstimo. Se o mutuário parar de realizar os pagamentos prometidos, o credor pode confiscar a garantia para recuperar suas perdas. Um empréstimo garantido dessa maneira é “colateralizado”.

GBP — Moeda legal do Reino Unido.

GEL — Moeda legal da Geórgia.

GHS — Moeda legal de Gana.

GIP — Moeda legal de Gibraltar.

Global macro — Estratégia de investimento que cria carteiras e negociações baseadas em visões macroeconômicas amplas, normalmente comparando crescimento, taxa de juros e expectativas de inflação dos países e expressas através de posições longas e curtas em índices de mercado de ações, câmbio, mercados de obrigações do Estado e taxa de juros e commodities.

GMD — Moeda legal da Gâmbia.

GNF — Moeda legal da Guiné.

Governação global Obrigações — Títulos da dívida emitidos por um governo, selecionados a partir de um universo de todos os (ou a maioria dos) países. O universo será definido normalmente por um Índice de obrigações de governança global padrão.

Grande capitalização — Descreve as empresas e ações cuja capitalização de mercado é maior que US$ 10 bilhões.

GTQ — Moeda legal da Guatemala.

GYD — Moeda legal da Guiana.

 

^ Voltar ao topo ^


 

- H -

High water mark — O ponto mais alto no valor que um fundo de investimento ou conta atingiu. É frequentemente utilizado para determinar quando uma tarifa de desempenho pode ser cobrada a um investidor do fundo.

HKD — Moeda legal de Hong Kong.

HNL — Moeda legal de Honduras.

Hong Kong (Ações H) — Ações de uma empresa constituída na China continental cotada na Bolsa de Valores de Hong Kong ou em outra bolsa estrangeira.

Hong Kong (Red Chips) — Empresa localizada na China continental, constituída internacionalmente e cotada na Bolsa de Valores de Hong Kong.

HRK — Moeda legal da Croácia.

HTG — Moeda legal do Haiti.

HUF — Moeda legal da Hungria.

 

^ Voltar ao topo ^


 

- I -

IDR — Moeda legal da Indonésia.

IG Credit dos EUA — Títulos de dívida emitido nos EUA que possuem uma classificação de crédito BBB ou superior

ILS — Moeda legal de Israel.

Imposto retido na fonte — Refere-se ao imposto que foi deduzido antes que o dividendo/juros fosse pago.

Inadimplência — Incumprimento do devedor em realizar pagamentos pontuais dos juros ou do principal à medida que vencem, ou em cumprir alguma determinação de uma emissão obrigacionista.

Índice Sharpe — Caracteriza como o retorno do Fundo compensa o investidor pelo risco assumido em relação a um investimento em dinheiro livre de risco. Ao comparar dois fundos em relação a uma referência comum, o que possui um Índice Sharpe mais elevado oferece um melhor retorno para o mesmo risco (ou, analogamente, o mesmo retorno para um risco mais baixo).

Índice — Um índice de investimento acompanha o desempenho de muitos investimentos como uma maneira de medir o desempenho geral de um tipo ou categoria de investimento específico. O S&P 500 é amplamente considerado a referência para investidores de grande porte. Acompanha o desempenho das ações de 500 grandes empresas estadunidenses.

Índices de base ampla — Índice criado para refletir o movimento de todo o mercado.

Índices — Mais de um índice.

Inflação — Alta nos preços de produtos e serviços, frequentemente equivalente à perda de poder de compra.

INR — Moeda legal da Índia.

Instrumentos derivativos financeiros (Financial Derivative Instruments - FDI) — Instrumentos financeiros vinculados a algum outro instrumento ou indicador ou commodity, através do qual riscos financeiros específicos podem ser negociados em mercados financeiros por seu próprio direito; seu valor deriva do preço ou nível do ativo ou indicador subjacente. Entre os exemplos, incluem-se futuros, opções e contratos de swaps.

Investimento de curto prazo — Ativo comprado com um período de investimento de menos de um ano.

ISIN — Abreviação para Número de identificação de títulos internacionais (International Securities Identification Number). Código internacional único que identifica uma emissão de títulos. Cada país possui uma agência de numeração nacional que atribui números ISIN para títulos nesse país.

ISK — Moeda legal da Islândia.

 

^ Voltar ao topo ^


 

- J -

JMD — Moeda legal da Jamaica.

JOD — Moeda legal da Jordânia.

JPY — Moeda legal do Japão.

 

^ Voltar ao topo ^


 

- K -

KES — Moeda legal do Quênia.

KGS — Moeda legal do Quirguistão.

KHR — Moeda legal do Camboja.

KIID (Documento de informações essenciais ao investidor) — Pequeno documento que as empresas de administração de fundos devem fornecer aos investidores, com os fatos e valores essenciais sobre um fundo de investimento.

KMF — Moeda legal de Comores.

KWD — Moeda legal do Kuwait.

KYD — Moeda legal das Ilhas Cayman.

KZT — Moeda legal do Cazaquistão.

 

^ Voltar ao topo ^


 

- L -

LAK — Moeda legal da República Democrática Popular do Laos.

LBP — Moeda legal do Líbano.

Letra do tesouro — Obrigações de dívida de curto prazo negociáveis (um ano ou menos) emitidas pelo governo dos EUA e garantidas por sua plena fé e direito.

Levantamento máximo de crédito — A maior perda, medida do pico à base até que um novo pico seja atingido, que um fundo exibe em seu retorno histórico.

Liquidação (Subscrição) — Processo pelo qual títulos ou unidades em um fundo de investimento são oferecidos em troca de dinheiro.

Liquidez — A capacidade de possuir acesso imediato a numerário investido em um fundo, ou a capacidade de comprar e vender títulos relativamente rápido e com boa relação custo-benefício. Muitos fundos são vendidos em ações que podem ser resgatadas pelo valor atual em um único dia útil.

LKR — Moeda legal do Sri Lanka.

Longo(a) — Descreve uma carteira, uma participação em uma carteira ou uma estratégia de investimento caracterizado(a) pela propriedade do título ou dos títulos, ou uma exposição criada por um instrumento derivativo, por meio do qual haverá lucro se o preço do título ou do ativo subjacente subir. Diferente de uma carteira, participação em carteira, exposição ou estratégia de investimento “curto(a)”.

LRD — Moeda legal da Libéria.

LSL — Moeda legal do Lesoto.

LYD — Moeda legal da Líbia.

 

^ Voltar ao topo ^


 

- M -

MAD — Moeda legal do Marrocos.

Margem — Diferença entre os rendimentos de duas obrigações. Normalmente, os investidores analisam a margem entre o rendimento de uma obrigação corporativa e de uma obrigação do Estado de vencimento equivalente emitido no país da corporação, ou a margem entre o rendimento de obrigações que não sejam do governo dos EUA e de obrigações do Tesouro dos EUA com vencimento equivalente.

MBS dos EUA — Título garantido por hipoteca (mortgage-backed security - MBS) é um tipo de título garantido por ativos que é lastreado por uma hipoteca ou um conjunto de hipotecas.

MDL — Moeda legal da Moldávia.

MEA — Abreviação para países do Oriente Médio e África.

Média de dias para o vencimento — Número médio de dias para o vencimento (ponderado pelas exposições nocionais).

Mercado de ações — Uma estratégia de investimento que envolve posições longas e curtas compensatórias em ações, como a carteira possuir pouca ou nenhuma exposição aos movimentos do mercado de ações como um todo e, ao invés disso, estar exposto a riscos mais específicos.

Mercado monetário — Mercado em que instrumentos financeiros com alta liquidez e vencimentos muito próximos são negociados.

Mercados emergentes — Países cujos mercados financeiros estão avançando progressivamente, conforme demonstrado por alguma liquidez da dívida e dos mercados de ações locais e a existência de alguma forma de mercado cambial e órgão regulatório. Normalmente, esses mercados são mais avançados que Mercados de fronteira, mas menos avançados que Mercados desenvolvidos.

MGA — Moeda legal de Madagascar.

MKD — Moeda legal da Ex-República Iugoslava da Macedônia.

MMK — Moeda legal de Mianmar.

MNT — Moeda legal da Mongólia.

Moeda base — Moeda em que o valor líquido do ativo de cada carteira é avaliado.

Moeda forte — Moeda amplamente aceita em todo o mundo como forma de pagamento por produtos e serviços. Entre elas se incluem o dólar dos EUA e o euro.

Momento — Momento é a tendência do preço de um título continuar a movimentar-se em uma direção, para cima ou para baixo. Também pode se referir ao prêmio pago por assumir o risco de participar de (ou vender) um investimento cujo preço tem subido (ou caído), ou a uma estratégia de investimento que busca explorar esse prêmio.

MOP — Moeda legal de Macau.

Morningstar Analyst Rating — A Morningstar Analyst RatingTM (representada por um escudo) usa o conhecimento dos analistas da Morningstar para avaliar fatores que acredita serem cruciais para prever o sucesso de um fundo.

MRO — Moeda legal da Mauritânia.

MSCI EAFE Index — É um índice de capitalização de mercado ajustado à livre flutuação criado para medir o desempenho do mercado de ações de mercados desenvolvidos, excluindo EUA e Canadá. A partir de 27 de novembro de 2013, o MSCI EAFE Index consiste dos índices dos seguintes 21 países com mercados desenvolvidos: Austrália, Áustria, Bélgica, Dinamarca, Finlândia, França, Alemanha, Hong Kong, Irlanda, Israel, Itália, Japão, Países Baixos, Nova Zelândia, Noruega, Portugal, Singapura, Espanha, Suécia, Suíça e Reino Unido.

MSCI Emerging Markets Index — É um índice de capitalização de mercado ajustado à livre flutuação criado para medir o desempenho do mercado de ações de mercados emergentes. A partir de fevereiro de 2015, o MSCI Emerging Markets Index consiste dos índices dos seguintes 23 países com mercados emergentes: Brasil, Chile, China, Colômbia, República Tcheca, Egito, Grécia, Hungria, Índia, Indonésia, Coreia do Sul, Malásia, México, Peru, Filipinas, Polônia, Catar, Rússia, África do Sul, Taiwan, Tailândia, Turquia e Emirados Árabes Unidos.

Multi Cap — Oportunidades de investimento em ações em várias capitalizações de mercado.

MUR — Moeda legal das Ilhas Maurício.

MV — Abreviação de valor de mercado (Market Value).

MVR — Moeda legal das Maldivas.

MWK — Moeda legal de Malaui.

MXN — Moeda legal do México.

MYR — Moeda legal da Malásia.

MZN — Moeda legal de Moçambique.

 

^ Voltar ao topo ^


 

- N -

NAD — Moeda legal da Namíbia.

Não coberto — Descreve uma posição de investimento que coloca em risco uma carteira que pode ser coberta, como taxa de juros ou risco de câmbio, mas que não foi coberta. Usado mais frequentemente para descrever posições que representam um risco de câmbio.

Negociação de curto prazo — Estratégia de negociação em que a duração entre a compra e a venda está no intervalo entre alguns dias e algumas semanas.

NGN — Moeda legal da Nigéria.

NIO — Moeda legal da Nicarágua.

NOK — Moeda legal da Noruega.

Nota do tesouro — Obrigações de dívida de médio prazo negociáveis (de um a 10 anos) emitidas pelo governo dos EUA e garantidas por sua plena fé e direito.

NPR — Moeda legal do Nepal.

NRSO — Organização de classificação estatística reconhecida nacionalmente (Nationally Recognised Statistical Rating Organisation).

NZD — Moeda legal da Nova Zelândia.

 

^ Voltar ao topo ^


 

- O -

OAS (bps) — A “margem ajustada à opção” (Option-Adjusted-Spread - OAS) é a diferença, em pontos básicos (basis points - bps), entre o rendimento de um ativo e o rendimento de uma taxa de referência como o índice da taxa básica de juros livre de risco, ajustada para assumir o valor de opções incorporadas nesse ativo. Algumas obrigações e empréstimos, por exemplo, dão ao emissor a opção de comprar o título antes da data de vencimento (em outras palavras, resgatar e reembolsar o valor principal mais cedo ao investidor).

Objetivo do investimento — Meta de um fundo de investimento e de seus acionistas, p. ex. crescimento, renda, crescimento e renda.

Obrigação corporativa — Obrigação emitida por uma corporação para arrecadar capital externo.

Obrigação do tesouro — Obrigações de dívida de longo prazo negociáveis (10 anos ou mais) emitidas pelo governo dos EUA e garantidas por sua plena fé e direito.

Obrigação — Uma obrigação atua como um empréstimo ou um I.O.U. emitido por uma corporação, município ou pelo governo dos EUA. O emissor se compromete a reembolsar o valor total do empréstimo em uma data específica e a uma taxa especificada de retorno para o uso do dinheiro ao investidor em intervalos de tempo específicos.

Obrigações com garantia — Tipo de obrigação garantida pela penhora de um ativo específico realizada pelo emissor, que é uma forma de garantia no empréstimo.

Obrigações corporativas híbridas — Obrigações corporativas híbridas são títulos estruturados que combinam características de ações e obrigações.

Obrigações do Estado — Título da dívida emitido por um governo.

Obrigações soberanas — Obrigações emitidas por um governo.

OICVM — Abreviação para organismos de investimento coletivo em valores mobiliários, uma estrutura regulatória da Comissão Europeia que cria um regime harmonizado em toda a Europa para a administração e venda de fundos mútuos.

OMR — Moeda legal do Omã.

Opção — Derivativo financeiro escrito por uma parte e detido por outra. O contrato oferece ao detentor o direito, mas não a obrigação, de comprar (se for uma opção de compra) ou vender (se for uma opção de venda) um título ou outro ativo financeiro a um preço acordado (preço do exercício) durante um certo período de tempo ou uma data específica (data do exercício).

Opções de venda por parte do autor — O “autor” (ou vendedor) de uma opção de venda fornece ao comprador o direito de vender o instrumento subjacente ao autor a um preço específico (ou seja, o preço de exercício). O autor recebe um prêmio (dinheiro) do comprador pela concessão dessa opção.

Opções de venda — Contrato de opção que dá ao proprietário o direito, mas não a obrigação, de vender uma quantidade especificada de um título subjacente a um preço especificado em um período de tempo especificado.

 

^ Voltar ao topo ^


 

- P -

PAB — Moeda legal do Panamá.

Paridade — Paridade é o valor originalmente pago para uma obrigação e o valor que será reembolsado no vencimento. Obrigações são vendidas normalmente em múltiplos de US$ 1.000.

Participações da carteira — Investimentos incluídos em uma carteira.

Participações em títulos overnight — Alocações de carteira para títulos que possuem ponderação maior do que no índice de referência.

Participações societárias curtas — As participações em uma carteira que são posições curtas em ações ou índices de ações.

Patrimônio — Ações emitidas por uma empresa que representam sua propriedade conforme diferenciado dos títulos de renda fixa, como obrigações e hipotecas.

PEN — Moeda legal do Peru.

Pequena capitalização — Mercado de capitalização das ações de empresas com valores de mercado normalmente menores que US$ 3 bilhões.

Perda mensal máxima — Maior perda que um fundo exibe em qualquer mês-calendário específico no seu histórico de retornos.

PGK — Moeda legal da Papua Nova Guiné.

PHP — Moeda legal das Filipinas.

PKR — Moeda legal do Paquistão.

PLN — Moeda legal da Polônia.

Política monetária — Política macroeconômica estabelecida pelo banco central. Envolve a administração do fornecimento de dinheiro e das taxas de juros para influenciar os níveis de inflação, consumo, crescimento e liquidez.

Ponto de equilíbrio médio (%) — Queda/Aumento da porcentagem média necessária(o) para que o nível do preço subjacente caia/aumente abaixo do nível do preço do ponto de equilíbrio (exercício menos/mais o prêmio recolhido).

Porcentagem média de exercibilidade (%) — Preço de exercício médio de opções como uma porcentagem do índice subjacente/preço do ETF atual.

Porcentagem nocional de garantia — Valor nocional das opções (preço de exercício x contratos x multiplicador) dividido pelos investimentos totais da garantia.

Posição curta sintética — Posição curta criada com um instrumento derivativo, ao invés de tomar emprestado um título de mercado à vista e vendê-lo no mercado aberto.

Posição curta — Posição de investimento criada ao tomar emprestado um título e, em seguida, vendê-lo no mercado, com a intenção de comprá-lo novamente a um preço mais baixo e devolvê-lo ao seu proprietário. “Venda curta” é um modo de gerar lucro a partir da queda dos preços do título.

Posições líquidas não liquidadas — Refletem a liquidação pendente das negociações de uma estratégia.

Prazo final da negociação — Último ponto em cada dia em que uma solicitação para subscrição ou resgate de unidades em um fundo de investimento pode ser enviada à sociedade que administra o fundo. Solicitações para negociação enviadas após esse prazo serão executadas no dia seguinte.

Preço da carteira — Média ponderada dos preços de mercado de títulos detidos em uma carteira. Usado normalmente para carteiras de obrigações.

Preço de mercado — Preço atual de um ativo.

Preço médio — Média ponderada dos preços de mercado de títulos detidos em uma carteira. Usado normalmente para carteiras de obrigações. Mesmo que Preço da carteira.

Preço/Lucro — Relação preço-lucro é a medida do preço relativo da ação para a renda líquida anual obtida pela empresa por ação.

Preço/Venda — Preço da ação de uma empresa dividido por sua receita de vendas por ação.  Método alternativo da relação preço/lucro para avaliação de uma ação.

Prêmio de risco alternativo — Uma fonte de retorno que compensa o risco de investimento que não pode ser diversificado e que não é um dos riscos de investimento “tradicionais” (risco de mercado, risco patrimonial, risco de taxa de juros, risco de inflação). Exemplos de riscos alternativos são valor, momento, “carry” e volatilidade.

Prêmio de risco — Espera-se que o retorno em excesso da taxa livre de risco do retorno de um investimento renda; um prêmio de risco do ativo é uma forma de compensação para os investidores que toleram o risco extra, em comparação aos de um ativo livre de risco, em um determinado investimento.

Prestatário — Também chamado de devedor, é uma pessoa ou entidade que está legal ou contratualmente obrigada a fornecer um benefício ou pagamento a outra.

Principal — Soma de dinheiro original colocada em um investimento.

Processo de investimento discricionário — Processo de decisão de investimento com base no julgamento do gerente da carteira, em oposição a contribuições ou sinais derivados de computador ou regras rigorosas.

Produtos do índice — Produto de um investimento criado para corresponder ou acompanhar os componentes de um índice do mercado.

Proporção das despesas totais (Total expense ratio - TER) — Medida dos custos totais associados à administração e operação de um fundo de investimento, que inclui a tarifa de administração, tarifa de administração e distribuição do acionista.

Proporção de informações — Retorno ativo esperado, relativo à sua referência, de uma estratégia de investimento (Alfa) dividido por seu erro de acompanhamento. Essa é uma medida da eficiência com a qual uma estratégia de investimento assume risco em relação à sua referência.

Prospecto — Oferta formal por escrito para vender títulos que estabelece o plano para a empresa ou os fatos relacionados a um existente que um investidor precisa para tomar uma decisão informada. Prospectos também contêm informações como histórico, currículo dos administradores, objetivos e políticas do fundo, demonstrativo financeiro, riscos, serviços e tarifas.

PYG — Moeda legal do Paraguai.

 

^ Voltar ao topo ^


 

- Q -

QAR — Moeda legal do Catar.

Qualidade média do crédito — Média ponderada das classificações de crédito de todas as obrigações na carteira.

Quantidade de participações — Número total de títulos individuais em um fundo ou carteira.

Quase-soberano — Entre os emissores de obrigações quase-soberanos estão presentes agências oficiais apoiadas pelo governo, entidades governamentais locais e corporações de propriedade integral de entidades soberanas, ou nas quais as entidades soberanas detenham mais de 50% dos direitos de voto.

 

^ Voltar ao topo ^


 

- R -

Referência — Padrão, normalmente um índice não administrado, usado para fins comparativos na avaliação do desempenho de uma carteira ou fundo mútuo.

REITs — Abreviação para Truste de investimento imobiliário (Real Estate Investment Trust), que é uma empresa que possui ou financia imóveis e está cotada como título em uma bolsa de valores.

Relação preço/valor contábil — Preço por parte de uma ação dividido por seu valor contábil (patrimônio) por ação. Para uma carteira de ações, a razão é a média ponderada da relação preço/valor contábil das ações que detém.

Relatório anual — Registro auditado anual de uma corporação ou condição e desempenho de um fundo mútuo distribuído aos acionistas.

Renda a taxa flutuante — Renda gerada por títulos ou empréstimos que possuem um pagamento de juros variável, que são normalmente ajustados a cada 30-90 dias e são baseados em alterações em taxas de referência amplamente aceitas.

Renda fixa — Descreve um ativo que realiza um pagamento regular a um nível pré-definido até o vencimento. Normalmente se refere a obrigações ou fundos que investem em obrigações.

Rendimento — Taxa percentual anual do retorno de capital. O dividendo ou juros pagos por uma empresa expresso como uma porcentagem do preço atual.

Rendimento antes do vencimento — Rendimento de uma obrigação ou nota se você tiver que comprar e deter o título até a data de compra, mas esse rendimento é válido somente se o título for comprado antes do vencimento. Algumas obrigações e notas, por exemplo, dão ao emissor a opção de “solicitar” o título antes da data de vencimento (em outras palavras, resgatar e reembolsar o valor principal mais cedo ao investidor). A data que o emissor comprar o título será a data de compra.

Rendimento ao vencimento — Retorno total anualizado antecipado sobre uma obrigação se for mantido até o fim de sua vida útil. Rendimento ao vencimento é considerado um rendimento de obrigação de longo prazo, mas é expresso como uma taxa anual.

Rendimento atual da carteira (%) — O Rendimento atual da carteira é uma média ponderada do valor de mercado dos rendimentos atuais das participações da carteira, calculada como cupom (taxa básica mais margem) dividida pelo preço atual. A medida é usada para comparar o retorno de curto prazo estimado das carteiras, em oposição ao retorno estimado ao longo de um período maior ou até o vencimento.

Rendimento atual médio (anos) — Rendimento médio de uma carteira de obrigações ou empréstimos, em que cada participação é ponderada de acordo com seu tamanho na carteira e em que o rendimento seja calculado simplesmente dividindo os pagamentos de cupons anuais para a carteira pelo valor de mercado atual da carteira. A medida é usada para comparar o retorno de curto prazo estimado de obrigações ou empréstimos, em oposição ao retorno estimado ao longo de um período maior ou até o vencimento.

Rendimento da carteira — Retorno esperado da renda a partir de uma carteira de investimento expressa anualmente como porcentagem.

Rendimento do dividendo — Retorno da porcentagem anual obtido por um fundo a partir dos dividendos de uma empresa, calculado pela divisão do valor dos dividendos anuais por ação pelo valor líquido do ativo atual ou preço de oferta pública.

Rendimento médio até o vencimento (%) — Rendimento médio do valor de mercado para títulos individuais na carteira. O rendimento até o vencimento de um título é a taxa de desconto que torna o valor atual dos fluxos de caixa futuros igual ao seu preço de mercado atual mais os juros acrescidos, assumindo que o título é mantido até o vencimento. O cálculo do rendimento até o vencimento (yield to maturity - YTM) leva em consideração o preço de mercado atual, a paridade, a taxa de cupom e o tempo até o vencimento. Assume-se que todos os cupons são reinvestidos à taxa YTM.

Rendimento mínimo esperado — Retorno total anualizado mais baixo em potencial que pode ser recebido em uma obrigação sem o emissor incorrer em incumprimento. Pode ser diferente do rendimento ao vencimento porque assume que o emissor irá exercer qualquer opção que tiver para comprar o título na primeira oportunidade (para resgatar e reembolsar o valor principal a um investidor antecipadamente).

Rendimento mínimo médio esperado (%) — Rendimento mínimo de uma carteira de obrigações ou empréstimos, em que cada participação é ponderada de acordo com seu tamanho na carteira e em que o rendimento é o pior disponível quando calculado até o vencimento e calculado para levar em consideração opções de compra (o direito do tomador de reembolsar o principal antes do vencimento), opções de venda (o direito do credor de exigir o pagamento do principal antes do vencimento) ou qualquer outra característica especial.

Resgate — Venda de ações de fundo mútuo por um acionista.

Resultado acumulado — Retorno gerado por um investimento durante um período especificado, em oposição ao resultado de um investimento sobre cada período distinto de, por exemplo, um mês, um trimestre ou um ano.

Retorno absoluto — Retorno a um investimento expresso sem referência a um retorno de referência. Um fundo de investimento pode ser descrito como um “fundo de retorno absoluto” se seu objetivo for gerar um retorno positivo, ao invés de gerar um retorno em excesso de uma referência determinada.

Retorno excedente — Retorno do investimento a partir de um título ou uma carteira que excede uma referência ou índice.

Retorno mensal médio (%) — Média de todos os retornos do mês calendário sobre a vida útil de um fundo.

Retorno total ajustado ao risco — Retorno total de um investimento, incluindo renda e valorização do capital, após levar em consideração o nível de risco envolvido na produção desse retorno. Retornos ajustados ao risco são normalmente expressos como relação do valor do retorno atingido para cada unidade de risco envolvido na geração desse retorno.

Retorno total — Contas para todos os dividendos e juros obtidos antes das deduções de tarifas e despesas, além de qualquer mudança no valor do principal, incluindo preço por ação, assumindo que dividendos e ganhos de capital sejam reinvestidos.

Retorno/Unidade de risco — Uma relação que representa o valor do retorno que um fundo atingiu para cada unidade de risco envolvido na geração desse retorno. Risco é normalmente definido como volatilidade.

Risco cambial — Risco de alteração no preço de uma moeda em relação ao de outra. O risco é assumido por um investidor que mantém um título denominado em uma moeda diferente da sua própria moeda “base”. Também referenciado como risco “cambial” ou “da taxa de câmbio”.

Risco da taxa de juros — Possibilidade de uma alteração no valor de um título, especialmente uma obrigação, resultante de um aumento nas taxas de juros.

Risco de inadimplência — Risco de que empresas ou indivíduos não serão capazes de cumprir os pagamentos das suas obrigações de dívida.

RMBS sem agência — Titularização de hipotecas residenciais de todo o território estadunidense que não foram criadas e comercializadas por uma das agências de hipoteca do Governo Federal.

RON — Moeda legal da Romênia.

RSD — Moeda legal da Sérvia.

R-Squared — Medida estatística que representa a porcentagem dos movimentos de uma carteira de investimentos que pode ser explicada pelos movimentos na referência. Um R-squared alto (entre 85 e 100) indica que os padrões de desempenho da carteira estiveram historicamente alinhados com a referência.

RUB — Moeda legal da Federação Russa.

Russell 2000® Index — É um índice não administrado que consiste de títulos de aproximadamente 2.000 emissores que possuem a menor capitalização no Russell 3000® Index, representando aproximadamente 10% da capitalização total do mercado do Russell 3000. A menor capitalização de mercado de uma empresa é de aproximadamente US$ 78 milhões. O The Russell 2000® Value Index mede o desempenho dessas empresas do Russell 2000® com a relação preço/valor contábil mais baixa e valores de crescimento previstos mais baixos.

RWF — Moeda legal de Ruanda.

 

^ Voltar ao topo ^


 

- S -

S Chips de Singapura — Empresas chinesas ou empresas com operações na China cotadas na Bolsa de Valores de Singapura.

S&P 500 Index — Um índice de ponderação de capitalização composto de 500 ações escolhidas por tamanho do mercado, liquidez e representação no grupo industrial. O S&P 500 Index foi criado para representar uma ampla gama de segmentos industriais na economia dos EUA. O S&P 500 se concentra no segmento de grande capitalização do mercado com mais de 80% de cobertura de ações estadunidenses. Os critérios para inclusão são estabilidade financeira (minimizar o faturamento no índice), avaliação de ações ordinárias para eliminar empresas fechadas e indicativo de atividade de negociação de ampla liquidez e precificação de ações eficiente. Empresas em fusão, aquisição, aquisições por endividamento, falência (concordatas ou qualquer aprovação de recapitalização pelo acionista que altere uma relação dívida/patrimônio), restruturação ou falta de representação em seus grupos industriais representativos são eliminadas do índice.

SAR — Moeda legal da Arábia Saudita.

SBD — Moeda legal das Ilhas Salomão.

SCR — Moeda legal de Seicheles.

Seguidor de tendência — Estratégia de investimento que tenta capturar ganhos através da análise do momento de um ativo em uma direção específica.

SEK — Moeda legal da Suécia.

Setor — Um grupo de títulos semelhantes, como ações em um setor específico.

SGD — Moeda legal de Singapura.

Sistemático — Processo de seleção de investimento baseado em um modelo matemático computadorizado.

SLL — Moeda legal de Serra Leoa.

Sobreposição sistemática de TAA — Estratégia implementada com instrumentos derivativos, em “sobreposição” a uma alocação de ativos estratégicos estática ou de longo prazo implementada com títulos de mercado à vista, criada para ajustar a alocação de ativos estratégicos taticamente, em resposta aos riscos e oportunidades percebidos em um prazo mais curto. A estratégia é “sistemática” quando é implementada usando contribuições e sinais para ajustar a alocação, ao invés do critério de um administrador da carteira.

SOS — Moeda legal da Somália.

SRD — Moeda legal de Suriname.

Standard & Poor's Index — Medição generalizada de mudanças nas condições do mercado de ações baseada no desempenho médio de 500 ações ordinárias comumente conhecida como Standard & Poor's 500 ou S&P 500.

STD — Moeda legal de São Tomé e Príncipe.

Subconsultores — Administrador de dinheiro que trabalha fora do fundo e é contratado por um administrador do fundo para ajudar com uma carteira de investimento.

Subsoberano — Entidades governamentais abaixo da entidade soberana. Por exemplo, estados, regiões, autoridades locais e municípios.

Subvalorizado — Um título ou outro tipo de investimento que é vendido por um preço presumidamente abaixo do valor real do investimento.

Supranacional — Entidade formada por dois ou mais governos centrais para promover desenvolvimento econômico para os países-membro. Instituições supranacionais financiam suas atividades ao emitir dívida de obrigação.

SVC — Moeda legal de El Salvador.

SYP — Moeda legal da República Árabe da Síria.

SZL — Moeda legal da Suazilândia.

 

^ Voltar ao topo ^


 

- T -

T+3 — A data de liquidação da transação do título ocorre 3 dias após a data da transação.

Tarifa de administração — Tarifa fixa anualizada que um investidor paga para ter os ativos administrados em um fundo de investimento ou pelo administrador de um investimento.

Taxa de juros — Quantia fixa de dinheiro que um emissor concorda em pagar aos obrigacionistas. É, mais frequentemente, uma porcentagem do valor nominal da obrigação. Taxas de juros constituem um dos mecanismos autorreguladores do mercado, que caem em resposta à debilidade econômica e aumentam em resposta à força.

Taxas — Taxas de juros que suportam títulos emitidos por entidades soberanas. Títulos que apresentam riscos adicionais ao investidor, como riscos de moeda estrangeira, precisariam ter esses riscos adicionais cobertos para serem referenciados como “taxas”.

Tempo para o vencimento — Vida útil restante de um instrumento de dívida.

THB — Moeda legal da Tailândia.

TIPS dos EUA — Títulos protegidos contra a inflação do Tesouro (Treasury inflation protected securities - TIPS) se referem a uma obrigação do Tesouro cujo valor principal flutua de acordo com um índice de inflação.

Titularizado — Grupo de ativos financeiros que, juntos, criam um novo título, que é, portanto, comercializado e vendido a investidores.

Título garantido por ativo — Título garantido por um empréstimo, arrendamento ou recebíveis de ativos que não sejam títulos imobiliários e garantidos por hipoteca.

Títulos da dívida — Instrumento de dívida, como obrigação do Estado, obrigação corporativa, certificado de depósito (CD), obrigação municipal ou ação preferencial, que pode ser comprado ou vendido entre duas partes e possui termos básicos definidos, como valor nocional (valor emprestado), taxa de juros e data de vencimento e renovação.

Títulos de categoria de subinvestimento — Títulos que possuem uma classificação de crédito mais baixa porque representam um risco mais alto de não serem reembolsados e normalmente oferecem uma renda mais alta para torná-los atrativos para certos investidores.

Títulos de dívida sem classificação — Títulos de dívida que não foram avaliados por uma agência de classificação de crédito.

Títulos vinculados a ações — Títulos da dívida híbridos cujo retorno está conectado a uma ação subjacente, ou instrumentos derivativos cujo preço esteja conectado ao preço de ações subjacentes ou índice de ações.

Títulos — Outro nome para investimentos como ações ou obrigações. O nome “títulos” advém dos documentos que certificam a propriedade do investidor de ações ou obrigações específicas.

TJS — Moeda legal do Tajiquistão.

TMT — Moeda legal do Turcomenistão.

TND — Moeda legal da Tunísia.

Tolerância de risco — Até que ponto você pode tolerar volatilidade e perdas em seus valores de investimento.

TOP — Moeda legal de Tonga.

TRY — Moeda legal da Turquia.

TTD — Moeda legal de Trinidad e Tobago.

TWD — Moeda legal de Taiwan.

TZS — Moeda legal da República Unida da Tanzânia.

 

^ Voltar ao topo ^


 

- U -

UAH — Moeda legal da Ucrânia.

UGX — Moeda legal de Uganda.

US$, USD ou dólares dos EUA — Moeda legal dos Estados Unidos da América.

UYU — Moeda legal do Uruguai.

UZS — Moeda legal do Uzbequistão.

 

^ Voltar ao topo ^


 

- V -

Valor líquido dos ativos (Net Asset Value - NAV) — Valor líquido dos ativos de uma carteira.

Valor líquido dos ativos por ação (Net Asset Value per share - NAV) — Valor atual de uma única ação do fundo de investimento; também conhecido como preço da ação. O NAV do fundo é calculado diariamente, tomando-se os ativos totais do fundo, subtraindo os passivos do fundo e dividindo pelo número de ações em circulação. O NAV não inclui comissão de vendas. O processo de cálculo do NAV é chamado precificação.

Valor nocional (Notional Value - NV) — O valor total do ativo subjacente de uma exposição implementada, ou parcialmente implementada, usando instrumentos derivativos, dado o preço à vista atual dos ativos subjacentes. Uma grande exposição do valor total do ativo a mercados pode ser criada com uma alocação relativamente pequena de garantia em dinheiro para um contrato derivativo. O tamanho real da exposição é, portanto, mais bem representado por esse valor nocional alavancado do que pelo valor da alocação em dinheiro.

VALOR — Sistema suíço de numeração e identificação de títulos. Equivalente a um ISIN, WKN ou CUSIP.

Valor — Refere-se ao prêmio pago por assumir o risco de participar de um investimento subvalorizado relativo ao mercado ou uma estratégia de investimento que busca explorar esse prêmio.

Valorização — Aumento no valor de um ativo financeiro.

VAR (1 dia, 95%) — Medida de risco de mercado que representa a perda máxima que pode ocorrer com 95% de confiança em um período de retenção de um dia.

Vários ativos — Estratégia de investimento que investe em mais de um tipo de classe de ativo.

VEF — Moeda legal da República Bolivariana da Venezuela.

Veículo — Qualquer estrutura estabelecida para aceitar dinheiro de investidores com o qual fazem investimentos em ativos e títulos. Por exemplo, fundos de investimento coletivos fechados ou abertos, parcerias limitadas e fundos cotados em bolsa.

Vencimento — Data em que um ativo, por exemplo uma obrigação ou derivativo, deve ser resgatado pelo seu emissor. No caso de uma obrigação, essa é a data em que o cupom final é pago e o capital principal é devolvido aos investidores. No caso de um derivativo, essa é a data em que o contrato expira.

Venda a descoberto — Transação que envolve a venda de um título que a carteira ou fundo não possui no momento.

VND — Moeda legal do Vietnã.

Volatilidade do preço — Flutuação do preço de um investimento ou título, normalmente expresso como desvio padrão.

Volatilidade — Também referida como o desvio padrão do fluxo de retorno a um ativo, carteira, mercado ou referência.

VUV — Moeda legal de Vanuatu.

 

^ Voltar ao topo ^


 

- W -

WON — Moeda legal da República da Coreia (Coreia do Sul).

WST — Moeda legal de Samoa.

 

^ Voltar ao topo ^


 

- X -

XAF — Moeda única dos 6 Estados independentes da África central.

XCD — Moeda única dos 7 membros plenos e de 1 membro associado da Organização dos Estados do Caribe Oriental.

XOF — Moeda única dos oito Estados independentes da África ocidental.

 

^ Voltar ao topo ^


 

- Y -

YER — Moeda legal do Iêmen.

 

^ Voltar ao topo ^


 

- Z -

ZAR — Moeda legal da África do Sul.

ZMW — Moeda legal da Zâmbia.

ZWL — Moeda legal do Zimbábue.

 

^ Voltar ao topo ^